Monte da Ribeira - belo fim de temporada!

No passado sábado teve lugar na Herdade do Monte da Ribeira a última das montarias do programa do CPM em 2016-2017, para os 43 postos que beneficiaram do (bom) trabalho das 26 matilhas que bateram os cerca de 700 ha da bonita e difícil mancha integrada na cuidada propriedade de Vera Cruz de Marmelar da família Carmona e Costa.

Depois do pequeno-almoço, Mariana Carmona e Costa deu a todos em nome da família as cordiais boas vindas a uma herdade que é já hoje uma referencia do agroalimentar alentejano, em particular no que se refere aos (magníficos) vinhos e aos (sumptuosos) azeites, enquanto que o responsável de campo, o bem conhecido Francisco Rosa, com a sua habitual sabedoria, deu breve nota das matilhas, das características da mancha e das particularidades dos postos, a maioria de testeiro em pronunciados barrancos.

A Directora de Montaria, Susana Silva, fez uma prelecção aos monteiros combinando a objectividade das habituais recomendações com a elegância da evocação de aspectos marcantes da caça de Montaria e do próprio CPM, cujo 35º aniversário o Presidente Artur Torres Pereira recordou em seguida, agradecendo aos sócios a fidelidade e o apoio à mais antiga organização de Caça do nosso país.

O nevoeiro matinal, por um lado, e a verificação dos documentos das matilhas por parte do SEPNA à entrada da vila, por outro, atrasaram compreensivelmente um pouco a posterior saída das armadas, que acabou por se processar com eficiência sob a orientação do veterano José António, o competente e amável guarda-maior da propriedade.

A solta deu-se às 11 horas, tendo as matilhas caçado ao choque e regressado ao ponto de partida. À medida que as horas iam passando, o sol foi gradualmente dissipando o nevoeiro inicial, tendo o final do caçado decorrido com um tempo absolutamente primaveril.

Detonações regulares, e sobretudo ladras, muitas ladras, alegraram as 4 horas que durou a montaria, mantendo os monteiros sob tensão permanente na expectativa da entrada eminente de algum animal. À chegada à junta, independentemente dos sucessos anunciados, eram muitos os monteiros que, contrafeitos, admitiam com honestidade haver errado javalis…

A duração do bem confeccionado almoço, que foi antecedido de uma (eloquente) prova dos vinhos e dos azeites da Herdade, foi quanto bastou para que a equipa de Francisco Rosa trouxesse à junta os animais que compuseram o (bem alinhado) quadro de caça final, constituído por 33 javalis, dos quais 5 navalheiros, e 5 veados muito bonitos, com destaque para os exemplares abatidos por Jorge Alvelos e por Susana Silva (que igualmente abateu 2 javalis), tendo-se este ano constatado a inesperada falta dos habituais gamos e muflões.

Fotos (muitas), risos, boa disposição e alegria marcaram um fantástico final de dia monteiro, tendo as despedidas de todos no momento da partida ficado marcadas pelo expresso desejo de um próximo reencontro em caçadas e momentos igualmente prazenteiros!7

Mais fotos aqui!

Deixe o seu comentário

Comentários

  • Sem comentários ativos!