George Aman (CIC) esteve em Portugal e caçou com o CPM

O CIC é uma das mais importantes instituições do sector cinegético na Europa e no Mundo, definindo as regras para medição e homologação dos troféus de caça maior seguidas na Europa e na maior parte do mundo.

 

O seu Presidente, o suíço George Aman, esteve em Portugal em visita particular e participou na Montaria da Companhia das Lezírias promovida pelo CPM, no final da qual respondeu a algumas perguntas que lhe foram colocadas por Pedro Vitorino, Director da conceituada revista “Caça e Cães de caça”, perguntas e respostas que transcrevemos da última edição desta com as devidas autorização e vénia.

Como foi esta sua primeira experiência em montaria em Portugal?

Foi fabulosa. Não tive a oportunidade de atirar, mas o ambiente, o sentimento, a excitação de ver caça… foi uma experiência fabulosa. A oportunidade de poder conviver com caçadores neste ambiente é algo único e que fica na memória.

O que pensa sobre o este tipo de caça tradicional?

Eu represento o CIC, e no Conselho Internacional da Caça encontramos uma variação enorme de formas de caçar e tradições. É nosso dever, no CIC, colocar todos os processos de caça sob o mesmo chapéu. Podemos sempre criticar uma ou outra forma de caçar, mas no final tudo é caça. Eu creio que a vossa forma de caçar em batida, como acontece em muitos locais na Europa, é um processo absolutamente justo. A montaria é uma forma de caçar que torna o tiro bastante difícil para o caçador, como também proporciona à caça muitas hipóteses de fuga. Portanto, trata-se de “caça verdadeira” e além disso conta com uma história de tradição, sendo a caça tão antiga quanto a existência do ser humano.

No resto da Europa, que conhecimento há sobre a caça em Portugal?

Penso que no resto da Europa a caça portuguesa não é suficientemente conhecida. Isso é absolutamente claro. Eu tive oportunidade de falar hoje com muita gente sobre como podemos divulgar a caça de Portugal, que é um país fantástico com uma diversidade de caça verdadeiramente única. É preciso que a caça em Portugal seja mais conhecida e o CIC também pode ter um papel importante nessa missão.

Entrevista: Redacção "Caça & Cães de Caça", edição de Março de 2017

Deixe o seu comentário

Comentários

  • Sem comentários ativos!