Montaria CPM na Companhia das Lezírias - Que gosto dá montear aqui!

Data: 18 de Dezembro de 2019 

A montaria da Companhia das Lezirias é uma montaria muito, mas mesmo muito especial.

A permanente simpatia no acolhimento durante todo o dia por parte do eng. Rui Alves, a atenção do José Luís Coelho a cada detalhe para que tudo corra bem no campo, o melhor almoço em montarias que há em Portugal servido pelo Carlos Samora e sua equipa no “Coudelaria”, o cuidado posto pela guardaria na realização de um digno quadro de caça, tudo isto é muito mais que meio caminho andado para que quem tenha o privilégio da nela participar desfrute de um grande dia de caça.

Se ao atrás descrito acrescentarmos um permanente sucesso cinegético - ontem por exemplo traduzido em 44 javalis abatidos, dos quais 5 navalheiros – podemos ter a dimensão exacta da importância que esta montaria, resultante de já antiga parceria entre CPM e Companhia das Lezirias, assume em cada época no panorama monteiro em Portugal.

Como se tudo isto não bastasse, ontem esteve um dia de sonho para montear, cinzento, muito nublado, mas sem chuva, sem frio e vento q.b. As previsões meteorológicas não eram de todo essas, bem pelo contrário, antevia-se chuva diluviana e vento forte. Mas nem uma gota de água caiu antes de todos estarem já a almoçar, e a chuva até o quadro de caça, a foto de grupo e a inspecção sanitária poupou!

A montaria desta vez até foi mais curta e mais rápida graças ao aligeiramento dos procedimentos por parte da guardaria à chegada dos monteiros à concentração, que atrasavam sempre o sorteio, o qual assim pôde desta vez começar a tempo e horas, após intervenções prévias de Rui Alves, de José Luís Coelho, do Presidente do CPM e da Directora de montaria Susana Silva. 

As matilhas presentes foram apresentadas e os seus responsáveis nomeados. Entre elas, a matilha vencedora do Prémio CPM para a Matilha do Ano em 1996, 1999, 2000, 2004 e 2007 (Penedos do Alqueva) e as matilhas vencedoras de idêntico galardão em 2011 (Os Amigos), 2015 (Morgado), 2016 (Diamante) e 2018 (Oeste). Acresce que o condutor da primeira, António Jacinto Rosa - uma verdadeira referência da Montaria - foi também em 2008 o vencedor do Prémio CPM para o Monteiro do Ano!

Com todos estes ingredientes reunidos, como não haveria esta de ser, como o foi, uma montaria de luxo?... Tiros de princípio a fim, lances atrás de lances, varas de javalis a passarem pelos postos. Um único senão, o dos agarres nos silvados aos javalis que se recusavam a abandoná-los, fosse por pressentirem os monteiros, fosse devido ao vento que apesar de tudo se fazia sentir.

No final, todos felizes e contentes, até alguns que não atiraram cobraram javalis rematando javalis agarrados pelos cães, com uma satisfação visivelmente superior – era ver-lhes o brilho nos olhos ao narrarem esses lances!

O almoço, como sempre, parecia uma festa familiar. E como se trataram os familiares e convidados…Brilharam o cozido de carnes bravas, as postas altas de bacalhau em azeite, o bife de touro tenríssimo. Os sonhos, o arroz doce, as farófias não ficaram atrás!

Depois, foi desfrutar do impecável quadro de caça e proceder à tradicional foto de grupo, a que se seguiu a inspecção sanitária dos javalis abatidos. E foi já noite adiantada que, resignados, finalmente partiram aqueles que foram buscando um qualquer pretexto para irem prolongando aquele memorável dia de caça…

Obrigado a todos!

 

 

 

 

Deixe o seu comentário

Comentários

  • Sem comentários ativos!